18 abril, 2007

Sextilhas aos sapos

A população de Timon sente a falta de um sistema eficiente para escoar as águas pluviais. Toda vez que chove algumas ruas se transformam em verdadeiros rios que correm durante horas. Como se não bastasse, as ruas inundadas estão esburacas e colocam em risco a integridade física dos usuários dessas vias públicas.
Outro dia um amigo meu narrou-me um vexame por que passou após uma chuva. O episódio foi o que segue:
Ao se deslocar para o trabalho, passando pelo bairro guarita, deparou-se esse meu amigo com uma anciã que não conseguia atravessar a rua no cruzamento da Av. Jaime Rios com a Av. Fco. Carlos Jansen, por causa do grande volume de água. O rapaz, bem intencionado, ofereceu-se para atravessá-la na garupa da bicicleta. A mulher aceitou e quando já iam chegando do outro lado da rua a bicicleta caiu dentro de um buraco e meu colega foi ao chão. Resultado:chegou ao trabalho todo ensopado.

Então em homenagem aos buracos e às inundações das ruas centrais de Timon vou construir umas sextilhas:

Vivam os sapos

Eu vi uma chuvarada
Do jeito que o povo gosta
Chuvas que levam entulhos
E desmoronam encostas
Dessas que afogam peixes
E sapos nadam de costas

Vi a gente aperreada
Com os rios a correr
Pelas ruas da cidade
Faz vergonha de se ver
Pra se chegar ao trabalho
De canoa tem que ser

E as administrações
Dessa cidade carente
Muitas delas se passaram
E não foram competentes
Então continuam as cheias
E os sapos ficam contentes
Postar um comentário