31 agosto, 2007

Artur Moreira Lima faz concerto em Timon

Se apresentou ontem em Timon o pianista carioca Artur Moreira Lima. O concerto aconteceu no cruzamento das Avenidas Jaime Rios e Paulo Ramos, no centro da cidade.


O evento se dá dentro do projeto Um Piano pela Estrada que leva o pianista a se apresentar em várias cidades do país, em um palco montado sobre um caminhão.


A apresentação durou em torno de 01:30h e empolgou a platéia. Ao final, ao ouvir a execução do hino nacional brasileiro, o público ficou de pé e aplaudiu.

28 agosto, 2007

Celeuma em torno da saúde do governador Jackson Lago

O jornal Gazeta da Ilha traz hoje na capa a seguinte manchete: Motivo do tratamento de Jackson é mantido a sete chaves.

Trata-se de mais uma trincheira nessa guerra política que é o Maranhão.

Os oposicionistas dizem que Jackson está doente a ponto de se licenciar do cargo para tratamento de saúde.

A tropa governista diz que o governador passa bem e está em condições de conduzir o estado.

No meio desse tiroteio de desinformação, baseado no jornalismo denuncista nada investigativo, as maiores baixas ficam no campo de cá. No território do povo.

Zé Reinaldo poderá ter alta hoje.

fonte: www.oimparcial.com.br

Internado no último domingo (26/08/2007) queixando-se de fortes dores no estômago, o ex-governador José Reinaldo Tavares passa bem após sofrer infarto.

Zé Reinaldo foi submetido a um cateterismo e a uma sirurgia que colocou um estente (pequena mola para desobistrução de uma veia).

Na noite de ontem (27/08) o ex-governador passou por uma bateria de exames e poderá ter alta hoje.

20 agosto, 2007

Boa nova no Ar

Desde a última quinta-feira (16/08/2007), está no ar a 103,7 FM.
Operando em fase experimental, a rádio toca música evangélica de boa qualidade.
Este blogueiro estará, em breve, estreando um programa naquela emissora.
Agurde novidades.

17 agosto, 2007

ATÉ QUANDO?

Mistério e especulações envolvem a morte da professora Luiza Lopes.

A professora era diretora de uma escola da rede pública estadual na capital maranhense e foi encontrada morta na quinta-feira (16/08/07).

Não quero tecer comentários sobre a forma do desaparecimento da professora na terça-feira, nem das condições em que foi encontrado o corpo na quinta. Quero frisar o uso político que se faz por aqui, de tragédias como essa.

A morte da professora é notícia de capa em, pelos menos, três dos jornais mais importantes do Estado. O caso é noticiado com um enfoque que está em conformidade com o campo político de cada órgão de imprenssa. Pelo que já ví em outras oportunidades já imagino onde querem chegar. Em momentos de intensa disputa política, como este, cadáveres aparecem para alimentar discursos e tirar o foco dos debates importantes para o Estado. Querem fazer um palanque sobre o caixão da professora.

Infelizmente, isso é muito frequente no meu querido, rico e, ao mesmo tempo, pobre Maranhão.

Este que é um Estado rico pela abundancia de recursos naturais, pela diversidade e exuberância da sua cultura, pelo enorme potencial que representa sua gente trabalhadora. É, ao mesmo, tempo pobre pelos desgovernos que se sucedem nas esferas do poder, pelo descaso com que os gestores trataram a saúde pública, por terem as autoridades desprezado a educação e pelo baixo nível da discussão política que se apresenta ao povo.

É lamentável que a professora Luiza esteja morta. É lamentável que as discussõies em torno da sua morte façam com que o caso de polícia vá parar nas rodas da política ou que discursões políticas sejam feitas nas páginas policiais de um jornal. Dá no mesmo.

Espero que isto não vá adiante. Desejo que os familiares da professora tenham a chance de chorarem em paz a perca de seu ente querido. Almejo que o povo do meu Estado tenha a oportunidade de debater a política em termos de projetos de desenvolvimento, ao invés de se debruçar sobre cadáveres para dizer quem é e quem não é o assino.

Manchetes de hoje (17/08/2007)

Jornal Pequeno: SUSPEITRA DE ARMAÇÃO CRIMINOSA: DIRETORA APARECE MORTA ESTRANGULADA COM BILHETE DE SUICIDA CONTRA JACKSON

O Imparcial: LEI DO SUBSÍDIO É SUSPENSA

15 agosto, 2007

Projeto que proíbe a prática do “correntão” é rejeitado na AL

Fonte:Agência Assembléia

O projeto de lei que proíbe a prática do “correntão” em qualquer processo de desmatamento no Estado, de autoria da deputada Helena Heluy (PT), foi rejeitado na sessão de hoje (quarta-feira, 14), na Assembléia Legislativa.

Além de proibir a prática em qualquer processo de desmatamento, o projeto previa multa no valor de R$ 10 mil para pessoa física ou jurídica que continuasse adotando a prática.

O projeto entrou na pauta de votação da Assembléia segunda e terça. Porém, não foi votado por falta de quorum regimental.

Hoje, após muita discussão, o projeto recebeu voto contrário da maioria dos deputados presentes.

Em defesa do projeto, deputada Helena Heluy, comentou que este seria o caminho para acabar com a monstruosidade que é o processo do desmatamento causado pelo uso do correntão.

“Essa atrocidade contra a natureza é brutal: dois tratores levam um corrente que arrasta toda a vegetação de uma área. Acabando com tudo. Lamento que esta Casa não tenha entendido a importância desse projeto”, disse.

Leia mais aqui:

11 agosto, 2007

Deputada Helena critica boicote ao projeto contra os “correntões” no Maranhão

Fonte: Agência Assembléia

A deputada estadual Helena Barros Heluy (PT) retirou da pauta de votação da Assembléia Legislativa seu projeto de lei que prevê a proibição do uso de “correntões” em qualquer processo de desmatamento no Maranhão, com punição de multa no valor de R$ 10 mil para cada auto de infração lavrado. Helena explicou que decidiu retirar o projeto da pauta por causa da tentativa de boicote orquestrada por seu colega de bancada deputado Marcos Caldas (PTdoB), que, com apoio da maioria do Bloco Parlamentar Progressista, conseguiu aprovar requerimento para que a votação do projeto de lei ocorresse em regime de urgência, durante sessão extraordinária.

Helena criticou a decisão de conduzir a votação do projeto em regime de urgência, quando seu interesse era que o tema fosse debatido pela maioria do parlamento.

Ela classificou de deselegante e desleal o requerimento de Caldas pedindo regime de urgência para votar o projeto de lei, questionando, inclusive, qual seria o verdadeiro interesse do parlamentar do PTdoB, “que nem é membro da Comissão de Meio Ambiente“.


Na próxima terça-feira (14/Ago/2007) às 15:00h no auditório Fernando Falcão, comissões da Assembléia Legislativa do Estado do Maranhão, promoverão um seminário com o tema: A Importância da Proibição do uso do Correntão para o Meio Ambiente.

07 agosto, 2007

Manchetes de hoje (07/08/2007)

Jornal Pequeno: JACKSON LAGO CRITICA MANIPULAÇÃO POLÍTICA DA GREVE DOS PROFESSORES

Ao fazer uma convocação para que os alunos retornem às salas de aula, o governador Jackson Lago proferiu ontem um duro discurso contra a manipulação política da greve dos professores. Ele condenou veementemente a manobra dos adversários, que perderam o controle político e administrativo do Estado, e foi enfático ao dizer que “o grupo Sarney não quer que os alunos tenham aulas. Porque o conhecimento liberta e eles estão desesperados com a perspectiva de libertação do povo do Maranhão”.


O Imparcial: PAI ENCONTRA MULHER E DOIS FILHOS ENFORCADOS
Foram sepultados ontem em Alto Alegre do Pindaré (cerca de 400 km distante de São Luís), a dona de casa Janete Pinheiro Silva, 21, e seus dois filhos: John Erick, de um ano e seis meses e Johnny, de apenas três meses. Os três foram encontrados mortos por enforcamento em uma dos cômodos da casa da família, no povoado Arrastão do Pedro, em Santa Luzia do Tide (294 km da capital). A mulher teria deixado uma carta a seus familiares, justificando o motivo do suposto suicídio coletivo.

01 agosto, 2007

MP pede reinício imediato das aulas na rede estadual do Maranhão

Fonte: G1 (www.g1.com.br)

Ministério Público do Maranhão entrou com uma ação civil pública na Justiça, nesta quarta-feira (1º) pedindo o imediato reinício das aulas nas escolas da rede estadual, que estão em greve há cerca de 70 dias.

A ação, que tem pedido de liminar, foi ajuizada pelo promotor Paulo Silvestre Avelar. Além da volta das aulas, ele também pede o cumprimento da carga horária e do conteúdo programático, nem que para isso o poder público tenha que pagar bolsas de estudos na rede particular de ensino.

A medida determina a cobrança de uma multa diária no valor de R$ 20 mil, que deve ser revertida em favor do Fundo Estadual da Criança e do Adolescente. A Justiça ainda vai analisar a questão.

Manchetes de hoje (01/0802007)

Jornal Pequeno: SEM ACORDO E IGNORANDO DECISÃO DA JUSTIÇA PROFESSORES REJEITAM PROPOSTA DO GOVERNO E CONTINUAM GREVE

O Imparcial: GOVERNO BUSCA ACORDO, MAS PROFESSORES RECUSAM PROPOSTA