29 janeiro, 2008

Raul Seixas tinha razão: ser prefeito é perigoso.

Levantamento do sitio de notícias G1, dá conta de que 11 prefeitos e 3 vice, foram assassinados no mandato que se iniciou em janeiro de 2005.

No Maranhão foram três os prefeitos assassinados no período: Hilter Alves Costa, de Ribamar Fiquene, Raimundo Bartolomeu Santos, de Presidente Vargas e João Henrique Leocádio Borges da cidade de Buriti Bravo.

Para o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, a função de prefeito é a mais arriscada de todos os gestores públicos.
Postar um comentário